O Castelo Velho de Safara vai estar em exposição, na ala lateral do Museu Municipal de Moura (antigo Matadouro), entre 4 de julho e 30 de setembro.

A inauguração, na quinta-feira, 4 de julho, às 17:00, contará com uma palestra a cargo dos responsáveis científicos pelas escavações, Mariana Nabais e Rui Monge Soares. A iniciativa servirá ainda para assinalar o lançamento do n.º 5 da Lacant – Revista Municipal de História, Arqueologia e Património.

O Castelo Velho de Safara é um dos mais “míticos” sítios arqueológicos do concelho de Moura. Conhecido desde, pelo menos, 1969, só em 1985 são lançadas as primeiras hipóteses sobre a história da sua ocupação. Em 2010 realiza-se um levantamento topográfico das estruturas evidentes no local, dando conta da sua muralha circundante e de várias linhas de fossos defensivos.

Desde junho de 2018 que a escola internacional de campo de arqueologia South-West Archaeology Digs escavou seis sondagens, demonstrando a importância do Castelo Velho de Safara, em termos de ocupação humana, com vestígios da Idade do Ferro, da época Romano Republicana, até aos primeiros anos do Império.

Esta exposição, que resulta de uma parceria entre a Câmara Municipal de Moura e a South-West Archaeology Digs, destina-se a dar a conhecer ao público alguns dos materiais arqueológicos mais importantes recolhidos, bem como a partilhar algumas das conclusões mais importantes relativamente à história da ocupação humana daquele local.

A mostra estará patente entre 4 de julho e 30 de setembro, na ala lateral do Museu Municipal de Moura, podendo ser visitada de terça-feira a domingo, entre as 09:00 e as 12:30 e as 14:00 e as 17:30.