Santo Aleixo da Restauração

A freguesia de Santo Aleixo da Restauração é a freguesia que mais dista da sede do concelho (cerca de 27 Km) e encontra-se a fazer fronteira com Espanha, aspeto que em muito contribui para as características da população. Santo Aleixo da Restauração distribui-se territorialmente por 17953 hectares, onde se insere parte da Herdade da Contenda, e é a segunda maior freguesia de Moura.

Crê-se que Santo Aleixo foi habitado 3 a 4 mil anos a.C.. Prova disso está nas Antas ou Dolmens e pedras tanchadas existentes na região. Outro facto que nos leva a acreditar na existência de outros povos são as relíquias paleolíticas e neolíticas que aqui foram encontradas.

Em 1252 já Santo Aleixo devia existir. Chamava-se então Campo de Gamos e era habitado por lavradores de Noudar e de Moura. Santo Aleixo da Restauração é considerada aldeia heróica da restauração de Portugal devido aos grandes acontecimentos da Guerra da Aclamação, nomeadamente nos combates de 6 de Outubro de 1641, 12 de Agosto de 1644 e 31 de Maio de 1704, em que os Castelhanos atacaram a aldeia e os seus habitantes se defenderam heroicamente. Por Decreto nº 41093, publicado no Diário do Governo nº 102 – I Série – de 3 de Maio de 1957, a freguesia de Santo Aleixo, concelho de Moura, passou a denominar-se Santo Aleixo da Restauração.

Em 1981, Santo Aleixo da Restauração tinha 1 557 residentes, número que diminui para 1 086 habitantes em 1991. O decréscimo populacional continua a verificar-se, tendo sido verificados 842 habitantes na freguesia durante o recenseamento realizado em 2001. É uma das freguesias rurais de Moura com maior mobilidade populacional, traduzindo-se numa constante diminuição e envelhecimento dos seus residentes.
Em termos económicos, tal como acontece nas restantes freguesias rurais do concelho de Moura, a agricultura e a pecuária sustenta a principal base económica dos seus habitantes, sendo de ressalvar a olivicultura e a pastorícia. Ainda relacionado com este facto, Santo Aleixo da Restauração possui uma cabrada comunitária composta por cerca de uma centena de animais. Também o artesanato é aspecto importante, salientando-se rendas e bordados, cestaria, cadeiras e sapataria.