Amareleja - tem a maior central fotovoltaíca do mundo

 

Vídeo Central Fotovoltaíca - ao visualizar o vídeo, clique sobre o mesmo e arraste o rato (descarregue Apple - QuickTime aqui)

Está já em funcionamento a maior central solar fotovoltaica do mundo, em Amareleja, concelho de Moura.

Com 46 Mwp de potência, a central produzirá 93 milhões de Kw, o equivalente ao consumo de 30 mil habitações. O investimento foi de 261 milhões de euros. Anualmente será evitada a emissão de 89,383 toneladas de CO2.

Com uma superfície de 250 hectares, a central é composta por 2.520 seguidores de 140 m2 cada, os quais contém cada um 104 painéis de silício policristalino. No total são 262.080 painéis.

A central solar de Amareleja, assim como a fábrica de assemblagem de painéis solares de Moura, constituem uma parte de um projecto integrado de desenvolvimento sustentável que está a ser desenvolvido pela Câmara Municipal de Moura na área das energias renováveis.

O processo teve início no ano 2000, através da assinatura de um acordo de cooperação entre a autarquia e a então Renatura Corporation, o qual continha um ponto específico em que se preconizavam iniciativas no âmbito da energia.

A determinada altura do processo foi constituída pela Câmara de Moura e pela Renatura a Amper, a que se juntou depois a Comoiprel, para dar corpo ao projecto de construção da maior central solar fotovoltaica do mundo.

Como a Câmara de Moura não tinha capacidade financeira para desenvolver um projecto desta envergadura, iniciou contactos e negociações com potenciais interessados, tanto a nível nacional, como internacional.

Foi o grupo espanhol ACCIONA que adquiriu, em Janeiro de 2007, a Amper, Central Solar, tendo-se comprometido a construir também a fábrica de painéis solares. Das negociações com o grupo espanhol saiu um fundo social de três milhões de euros, que a Câmara de Moura irá investir em projectos na área das energias renováveis, não só solar, mas também noutras vertentes.

Em 2008 o município constituiu a Lógica, EM para gerir o fundo social e lançar iniciativas no âmbito das energias alternativas, como a micro-geração de produção de energia é igualmente uma das apostas da autarquia, tendo já obtido níveis de implementação superiores à média nacional, assim como desenvolver os processos para a instalação do Parque Tecnológico de Moura que, entre outras valências, terá um laboratório de investigação.